Policia

MILÍCIAS: Operação prende policiais militares e civis em Pernambuco, Paraíba e Ceará

Policiais militares e civis de Pernambuco, Paraíba e do Ceará foram presos, nesta quarta-feira (12), durante operação da Polícia Federal que visa desarticular um grupo miliciano. 

De acordo com as investigações, o grupo tem “características típicas de grupo de extermínio”, é especializado em crimes violentos contra a vida e atua principalmente nos municípios de Salgueiro, Serra Talhada, Ouricuri e Parnamirim, no Sertão de Pernambuco. 

A operação foi denominada de Metástase, em analogia à capacidade de espalhamento do câncer por outros órgãos do organismo humano.

Ao todo estão sendo cumpridos 16 mandados de prisão temporária e 17 mandados de busca e apreensão, além de outras medidas cautelares, a exemplo do sequestro de bens dos principais investigados.

Entre os investigados alvos da operação, foi identificado que pelo menos 11 deles possuem certificado de Caçador, Atirador Desportivo e Colecionador (CAC).

Um político da Câmara Municipal de Parnamirim também é alvo de um dos mandados. 

Estão sendo cumpridos:

5 mandados de prisão temporária e 6 de busca e apreensão em Serra Talhada; 

2 mandados de prisão temporária e 2 de busca e apreensão em Salgueiro;

3 mandados de prisão temporária e 4 de busca e apreensão em Ouricuri;

1 mandado de prisão temporária em Belém de São Francisco; 

1 mandado de prisão temporária e 1 de busca e apreensão em Parnamirim;

1 mandado de prisão temporária e 1 de busca e apreensão em Brejo Santo, no Ceará;

1 mandado de prisão temporária e 1 de busca e apreensão em Crato, no Ceará;

2 mandados de prisão temporária e 2 de busca e apreensão em Porteiras, no Ceará. 

Participam da operação 180 policiais federais dos Estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará, Rio Grande do Norte, Alagoas e Sergipe, incluindo equipes do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal, além de 50 policiais militares e nove policiais civis da Corregedorias dos Estados de Pernambuco, Paraíba e Ceará.

A Polícia Federal ainda não deu detalhes de como e há quanto tempo o grupo agia. Também não informou quantas mortes são atribuídas aos suspeitos.  

Os crimes investigados são:

Associação para constituição de milícia privada;

Homicídio;

Agiotagem;

Extorsão;

Segurança privada ilegal e jogos de azar.

As penas ultrapassam os 40 anos de reclusão.

Todos os presos passarão por audiência de custódia e posteriormente serão encaminhados para o Centro de Reeducação da Polícia Militar de Pernambuco (Creed) ou para o Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), ambos em Abreu e Lima. 

Fonte: JC

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
× Envie sua Notícia