Policia

Aluno que matou professora em escola de SP foi frio em depoimento, diz delegado

O adolescente apreendido pelo ataque na escola estadual Thomazia Montoro, na Vila Sônia, zona oeste paulistana, demonstrou frieza ao falar sobre o caso, segundo o delegado responsável pela investigação do caso. O jovem prestou depoimento na segunda (27) no 34º Distrito Policial.

O aluno do oitavo ano do ensino fundamental matou a facadas a professora Elizabeth Tenreiro, 71, e feriu outras cinco pessoas (dois alunos e três outras docentes).

“Ele [o autor do ataque] passou todas as informações de forma pormenorizada, ele admitiu os fatos. E as imagens são fortes”, disse o delegado Marcos Vinicius Reis. “Ele foi frio, não demonstrou muita emoção e admitiu, confessou, na presença da advogada, na presença dos pais.”

Segundo o delegado, a motivação do crime ainda está sendo investigada. Para determiná-la, a polícia deve tentar saber mais sobre as brigas que foram relatadas, analisar o bilhete que o adolescente deixou em casa e suas postagens online.

Questionado sobre boatos de possíveis novos ataques, o delegado disse que a polícia tem um fato material e que ainda deve tomar novos depoimentos. Os próximos da investigação devem analisar essas postagens na internet, verificar os bilhetes aprendidos e os 32 depoimentos que foram colhidos.

O jovem de 13 anos deixou a delegacia por volta das 18h10 desta segunda e foi encaminhado para passar por exame de corpo de delito no IML (Instituto Médico Legal) Oeste, que fica anexo ao 91º DP (Ceagesp). Após o exame, foi encaminhado para a Fundação Casa. Nesta terça-feira (28) ele passará por audiência de custódia na Vara da Infância e do Adolescente.

“Esperamos que ele permaneça apreendido”, disse o Reis. “Foi um procedimento com bastante lisura e trabalhoso. É um caso que envolve menores e uma vida.”

Fonte: afogadosfm

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
× Envie sua Notícia